A CIÊNCIA ECONÔMICA – Revolução industrial: o caso da Inglaterra

O epicentro da Revolução Industrial foi a Inglaterra do século XVIII, onde uma série de invenções transformou a indústria do algodão e deu origem a um novo modo de produção – o sistema fabril.

Durante esses anos, outros ramos da indústria realizaram avanços comparáveis, e todos juntos, reforçando-se mutuamente, possibilitaram novos benefícios, numa frente cada vez mais ampla.

A abundância e variedade dessas inovações podem ser agrupadas sob três princípios: a substituição da habilidade e esforços humanos pela máquina; a substituição das fontes animadas de energia por fontes inanimadas, em especial a introdução de máquinas para transformar o calor em trabalho, dando ao homem acesso a um suprimento novo e quase ilimitado de energia; e o uso de matérias-primas novas e muito mais abundantes, em particular a substituição das substâncias vegetais ou animais por minerais.

Ouça AQUI o programa desta semana e saiba mais sobre a importância da Inglaterra para o desenvolvimento industrial.

Ouça também:

Transformação tecnológica e desenvolvimento industrial

Milton Friedman e suas contribuições à economia

Schumpeter e suas ideias sobre o empreendedor inovador

“A Ciência Econômica” é um programa produzido pelo professor da UNIFEI, Dr. Fred Leite Siqueira Campos e apresentado pelo economista Antônio Suerlilton. O programa fala sobre economia e os grandes nomes à frente desta ciência.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s